segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Um Adendo...


ENQUANTO O POST PASSADO FORAM ALGUMAS FOTOS, eu estava pensando em que queria escrever mais um pouco. Uma amiga, agora há pouco, me perguntou como é casar uma irmã... acho que era o empurrão que precisava para conseguir colocar em palavras o que sinto.

Eu sou um felizardo pela família que tenho. Avós que são modelos, pais fantásticos que ensinaram a ser uma pessoa melhor, e os melhores irmãos que eu poderia querer. Cada um com sua cara, seu jeito, aquilo que os torna únicos e especiais. 

A Flá, então, é a irmã mais velha perfeita. Uma pessoa determinada e inteligente, que sabe o que quer e como conseguir. Uma inspiração pra fazermos de tudo - o que quer que a gente faça - mais e melhor. Para qualquer momento da minha vida que eu olhar, ela vai estar lá. Claro que às vezes falando alto e brigando comigo, mas ela vai sempre ser uma parte fundamental da minha vida.

O casamento ontem foi lindo, simples, e com a cara dos noivos. Eles começaram o namoro já há quase sete anos, e cresceram juntos. De um namorico de brincadeira, para uma relação séria e sólida, que deu mais um passo ontem...

Devo reconhecer que no começo, eu não gostava muito do namoro. Achava o Carlos muito novo, doido pela cachorrada, que ia magoar minha irmã em pouco tempo... E o fato é que não. Ao longo dos dias que se tornaram semanas e meses, fui vendo diferente. Não era brincadeira, não era farra: era sim uma grande paixão.

Quando os meses se transformaram em anos, eu já pensava totalmente diferente. Vi uma pessoa que amava minha irmã, que a completava, que a fazia feliz. Nada mais pra mim então importava...

Quando veio a notícia no meio do ano de que ele havia pedido a mão da Flá aos meus pais, meus olhos marejaram na mesma hora. E, desde então - o noivado, a preparação, as escolhas... tudo pensado. Lógico, já disse o Cassiano, no meio de tantas preparações: Casar é bom... (perdão pela piada interna!). Os últimos dias de ansiedade e estresse, contudo, se pagaram quando ela entrou na Igreja, na sexta, e na celebração no sábado.

O Carlos Filho veio devagar, e se tornou de verdade um membro da família. 

Não posso esconder o quanto desejo aos dois a felicidade. Eles merecem uma vida inteira de amor e carinho, como eles demonstraram ontem no seus olhares um para o outro. Sei que muitas barras ainda vão seguir - montar a vida, caminhar juntos pelos trancos e barrancos da vida, e espero um sobrinho, viu? - mas, se esse olhar continuar, sei que vai estar tudo bem. 

Tudo que posso querer, para minha irmazinha, minha maior amiga, é que até o fim das suas vidas, vocês olhem nos olhos um do outro e seja "assim, como ver o mar / [que seja sempre como] a primeira vez que [seus] olhos se viram no seu olhar"




Duas vidas de felicidades pra eles dois. Eles merecem, e sei que vão conseguir.

Inté,

A. N.

6 comentários:

Tássia disse...

fazer chorar depois do casamento não vale!!!!!!! snif!

Do Dito e do Dizer disse...

sim, o casamento foi belíssimo por tudo, e principalmente pela espontaneidade do casal e de toda família. sem dúvida alguma é uma família muito especial que terei prazer de fazer parte. afinal, se tásssia se casa com mc eu vou ser parte de uma forma ou de outra.
beijos querido.

_Maga disse...

Tão lindo o casamento... o local da cerimonia é encantador. Tão bom ter irmãos, né? Saudades das minhas... Que os noivos sejam muito felizes! Um abraço

Tássia disse...

te memeei!!! vai no meu blog e vê!

Anônimo disse...

Será que preciso comentar, algo...
Não bastou nosso choro dançando o MEU ESQUEMA??? Tinha que emocionar aqui tb...
TE AMO MUITO
Flá

Carlos disse...

É um grande orgulho saber que tu tem esse ponto de vista de tudo isso!!!

T amo, Netão!