sexta-feira, 27 de julho de 2007

Second Life vira laboratório para cientistas

Mundos virtuais como World of Warcraft são úteis para pesquisas de cientistas sociais.
Pesquisadores têm acesso a muito material, de forma muito parecida ao mundo real.

FONTE: G1 (Globo Notícia)

Jogos como World of Warcraft e o Second Life têm se mostrado muito úteis para cientistas sociais, que os utilizam como laboratórios virtuais. Pesquisadores estão extraindo percepções da vida real ao estudar o que as pessoas fazem nos mundos virtuais, de acordo com um artigo publicado na revista “Science”.


A pesquisa sugere que os mundos virtuais podem ajudar cientistas a estudar idéias de governo e até mesmo conceitos independentes. Outros podem procurar por comportamentos peculiares aos mundos on-line e como eles diferem da vida real.

Mundos virtuais oferecem um grande potencial para cientistas pois superam alguns dos problemas que esses pesquisadores encontram quando procuram por sujeitos na vida real, afirmou Willian Bainbridge, da Fundação Nacional de Ciência dos Estados Unidos, no artigo.


Por exemplo, cientistas sociais geralmente enfrentam problemas em achar sujeitos rapidamente ou garantir recursos para continuar com a pesquisa. Segundo o site da “BBC”, a popularidade destes jogos mostrou haver uma variedade de pessoas que poderiam ser recrutadas por longos períodos de tempo com custo pequeno.

Os mundos virtuais também reúnem grande quantidade de dados sobre seus jogadores, que podem ser facilmente analisados pelos cientistas sociais, escreveu Bainbridge. A validação desta abordagem foi demonstrada em trabalhos anteriores sobre universos on-line, revelando que os jogadores apresentam muitos comportamentos e convenções sociais que também exibem na vida real.

Revelações

Para o pesquisador, as diferenças entre os mundos on-line como World of Warcraft e Second Life foram reveladoras. No Second Life, os participantes geralmente criam um avatar que é seu alter ego e se identificam fortemente com ele. Já no World of Warcraft os jogadores mantém múltiplas versões on-line e se relacionam com elas como possessões.


Os dois casos podem mostrar como as pessoas criam identidades e como elas desejam se projetar para as outras pessoas, afirmou Bainbridge no estudo. O Second Life se tornou mais popular entre os cientistas por permitir que eles criem seus próprios objetos, para testar as reações e as respostas dos jogadores.


Os jogos poderiam permitir que os cientistas realizassem estudos em larga escala sobre tipos de governos alternativos, algo quase impossível de ser realizado na vida real. Por exemplo, afirmou o pesquisador, o conflito atual entre os jogadores do World of Warcraft de diferentes facções sobre os minerais valiosos pode ser visto como um campo de experimento sobre “como indivíduos podem ser induzidos a cooperar para produzir bens públicos”.


===============================

Nota: Se alguém conseguir esse artigo de verdade, eu quero!!!


Um comentário:

_Maga disse...

legal né?

O estudo que o Martone vai fazer com metacontingencias também se utiliza de um programa de computador para manipular as variáveis... mas a gente vai ter que esperar os resultados para saber certinho o que eles fizeram... rs

beijos

ps.: mas vc hein? viciou no Anão vestido de palhaço mata oito? rs