quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Recapitulando - Recado a uma certa menina...

ANDANDO PELOS ARQUIVOS DESSE BLOG, dei de cara com um post antigo que achei muito legal... e tinha um comentário que achei fantástico, que foi o seguinte:

Reticencias: são o equivalente escrito do silêncio... são a medida exata do infinito... são o tempo certo da imaginação (as reticencias não são: elas transcendem!) mas isso já é pra se colocar numa poesia...


Isso tudo pra dizer: Onde andará essa poesia?

Inté,

a.n.

Um comentário:

_Maga disse...

Você é demais, Aécio!

Eu ainda quero escrever algo com isso, mas essas reflexões já renderam, indiretamente, esta poesia:

Reticência

Diego Filipe & Marcela Ortolan

"Um silêncio é o que te ofereço;
escrito, falado, vivido

dado

de graça.

Use, respire, contemple

Sinta...

Solto no fim, sem ser ele
um tempo, um passo, um suspiro

medo de lado

um silêncio

e muito mais...

Dito pelo não dito
(esquecido?)
(retraído?)

Solto no espaço
uma palavra, uma voz, um nada

que dá medo

que fala alto...

Palavra incerta, ouvido aberto,
coração ferido

boca cala

silêncio acolhe;

Use, respire, contemple.

Um abraço sem sons
levado, corajoso, autêntico

de graça - sem medo -

pra ti...

Abuse, inspire, realize..."

Beijos!